sexta-feira, 18 de abril de 2008

Em nome da esperança

Era previsível, "ninguém é profeta na sua terra", a cruz é o destino conhecido.
Nem esse antiquíssimo resistente, que sobreviveu à Igreja do Czar e à anti-Igreja de Estaline, conseguiria resistir à estreiteza paroquial!
E os outros, escribas maiores ou menores, sabei que os vossos escritos não são apreciados. Monárquicos nunca.
Nada que estremeça a verdade conveniente, servida e albardada naquela curva que a espinha pronuncia e é mais acentuada nos portugueses.
Este é o país do silêncio, da inveja, e do medo.
País desregulado, "sem rei nem roque", que faz justiça ao centurião - "Não se governam, nem se deixam governar"!
Um país que detesta o "Pai", onde Édipo espreita em cada esquina. Neste país habita um povo confuso, que enraíza a sua religiosidade na terra de todos os milagres!
País minguante, infantil, tem na bola o seu recreio, e honra diáriamente o "Portugal dos pequeninos"!
Pátria saldos fim de estação.
Mas é este o meu país, onde me cabe viver, e ninguém dirá - aqui jaz um viajante dos espaços que se enganou no seu tempo. O meu tempo é este, o meu espaço é este, não desistirei. A mensagem há-de passar.
Ergue-te pois companheiro, é hora de lidadores, acorda-me esse povo estremunhado, não vires a cara aos infiéis.
A nossa divisa mantém-se: - "morrer, sim, mas devagar".

17 comentários:

Anónimo disse...

Julgo que esta crónica está escrita num tom um pouco abichanado.

Anónimo disse...

Caro JSM:
Não entendo o 1º comentário. Deve por certo ser qualquer coisa de interessante que me escapa.
Não deve querer dizer que o tom da crónica é pouco máscula! Não faz sentido:nem à crónica, nem à sua virilidade, que para o caso dos leitores é irrelevante, nem para a discussão do assunto da crónica em si!
Muitas vezes discordei das ideias aqui defendidas, muitas vezes argumentei com os seus autores. Mas a discussão é sempre importante e preferível ao silêncio. Com a discussão todos aprendemos qualquer coisa, reflectimos e mudamos. Com a discussão cresce -se , mesmo que continuemos a pensar de modo diferente. O insulto, hábito generalizado entre muitos portugueses não pode atemorizar ninguém e sobretudo não os pode fazer calar.
JSM não desista. Quando vão ao Jardim Zoológico ofendem -se quando o gorila lhes atira cascas ou deita a língua de fora??? Mas se os tais comentaristas são gorilas, que importância tem isso? Óptimo, evoluiram - já escrevem ! Haja esperança! Serão homens!
Um abraço
MSM

Anónimo disse...

MSM, se quer uma lista de insultos, é só começar a ler o blog de trás para a frente... não só do JSM, mas também do Zala, do Pope/Pe. Pedro, etc.

A última má-criação do JSM, por ex., foi com o Cláudio, há alguns posts atrás. Se acha bem a má-educação e o insulto fácil e tonto do Fora de Estrutura, então isso diz muito (mal) acerca de si...

João Resendes

Anónimo disse...

Não sei do que fala.
Não sou nem católica nem Monárquica.
Mas o blog foi feito por estes Srs. É deles. Nós não somos obrigados a lê-los. É ou não verdade? Na blogosfera há de tudo. Cada um deve procurar o que mais lhe convèm ou gosta.
Mas calar alguém na blogosfera, ou noutro lugar, como tantos outros, é atentar contra a liberdade de expressão de cada um. E, a seguir? Faz se o mesmo a todos os que não pensam ou são como nós? Mas então acabamos na censura. Quando o JSM ,que ao longo destes comentários foi sempre educado, o deixa de ser , quantas vezes já o insultaram e maçaram antes? É o caso do "Oh Evaristo tens cá disto?"
De certeza que vamos chegar a um consenso.
MSM

Anónimo disse...

Os insultos servem só para voçês perceberem como tratam os outros, e para se aperceberem das enormidades das vossas loucuras!
Penso que já foi explicado há uns meses atrás numa caixa de comentários, a razão por que pomos comentários aqui no blog. Porque o blog pertence à Igreja. Porque os autores que aqui escrevem não têm o direito de intimidar ninguém, muito menos os que vêm aqui deixar a sua opinião para depois serem miseravelmente insultadas pelos escritores(!) do Fora de Estrutura.

João Resendes

Anónimo disse...

O JSM sempre educado!?
Acho que você ou não conhece este site ou não pensa pela sua própria cabeça MSM! Aconselho-a a começar a ler o blog e os comentários desde o início. Quanto à censura, não a percebo, que os ignorantes do Vale de Acór escrevem aqui o que lhes vem à cabeça, isso é uma evidência, infelizmente!

Apoiado, João Resendes, é assim mesmo.

Primo de Rivera

Anónimo disse...

Pegando no tema do J. Resendes e da MSM, e sem prejuízo de eventuais omissões, eis a lista de pessoas mal criadas colaboradoras deste blog que já pude encontrar:

José Nogueira Ramos
João Saldanha
Carlos Leal
Manuel Arriaga e Cunha
João Lancastre e Távora
Pope (é o Pe. Joaquim Pedro Quintela, como já foi aventado?... Não sei, mas a ideologia parece a mesma.)

Isto para já não falar do grupo ainda maior das que escrevem parvoíces e são mal formadas.
Claro que sim, conheço o Fora de Estrutura há muito tempo!



José Silveira

JSM disse...

Cara MSM
Agradeço a sua tentativa para me defender da legião dos meus admiradores! Que me seguem fielmente, devoram tudo o que escrevo e me ajudam com as suas críticas a ser melhor do que sou. Excepção ao 'anónimo abichanado' que se excedeu, e tem que tomar cuidado com isso, mas acredito que já deve estar arrependido. Tencionava aliás apagar esse comentário, por respeito aos outros leitores, mas foi melhor assim porque permitiu este momento de sinceridade admirável, uma verdadeira catarse colectiva! E inspirou o título do meu próximo postal - em nome da caridade.
Um abraço.

Anónimo disse...

JSM:
desculpe escrever depois de si. Mas estes comentários são tão enviesados que há qualquer coisa de tão pouco coerente que é me atraem, dispertam a minha curiosidade. Sabem ler- têm portanto pelo menos a escolaridade mínima! Mas têm pouco poder de argumentação - daí que pensam que são insultos o que não entendem ou não sabem contrapor. São igualmente complexados- em tudo veem um insulto, um ataque. Como bons "católicos" e à boa maneira da Inquisição querem queimar os bruxos na fogueira. Na fogueira da humilhação,da impertinência da insolência da vingança! Não são católicos de certeza ou são tão fundamentalistas que esquecem que vivem no séc XXI e que todas as pessoas são mais do que deixam ver. Depois de A.Damásio há mais do que uma inteligencia. Qual delas é a única a que dão importância? Não nos podem fazer acreditar, que acreditam que todas as pessoas do F.E. de uniram pela característica comun de serem mal formados, estúpidos ignorantes enfim uma associação de malfeitores. Mas provavelmente já algum destes comentadores conhece bem o Vale d'Acor. Tanta zanga, tanta raiva tem de ser muito pessoal.Indicam as pessoas do F.E. mal educadas; mas se admitem ser como eles acrescentem os vossos nomes por favor- o Primo de Rivera terá de escrver o seu nome autentico.Até acho engraçado, conversar com estes senhores sobre as crónicas que continuarão a escrever.Não me são mais desagradaveis que muitas pessoas com quem lido diáriamente. São exemplares curiosos.O que farão na vida? Espero continuar a ter o prazer de ler as efemérides do João Tavora e os textos tão bem escritos do Gito, as crónicas e poemas do JSM e as suas críticas mordazes... Voltaremos a discutir agradavelmente , convictos que não o fazemos pelo insulto facil, nem com complexos de não levarmos a melhor. De tudo, mesmo quando acalorada na discussão,aprendo sempre qualquer coisa e será um exercício de antropologia agradavel irmos observando e registando as reacções destes senhores comentaristas? Quem sabe se apenas não querem ser vossos amigos e não sabem como ?
MSM

Anónimo disse...

Excelentes comentários MSM,apareça mais vezes!Quanto a todos os que fazem este blog, escrevam por favor, escrevam muito!

Joana

Anónimo disse...

Quem sabe MSM?...

Mas vê-se perfeitamente que você não conhece o blog (não se esqueça dos comentários).

Não se apercebe da perfídia da ideologia destes senhores.

Parece-me muito simples a senhora...

José Silveira

Anónimo disse...

Que tenho eu a ver com os palavrões, MSM?
Limito-me a verificar que os autores deste blog têm o que merecem...

João Resendes

Anónimo disse...

Muitos dos Vossos leitores habituais, esperamos pelas vossas Crónicas, poemas, críticas.Somos mais do que pensam.
Mariana

Anónimo disse...

Sou sou, por acaso sou simples e gosto de o ser.Tudo é também mais simples.Não há perfídia alguma. Imaginação sua. E o João Resendes porque tem de julgar quem conhece tão mal? É juiz? É carrasco? Porque não faz no lugar destinado aos comentários uma crónica sua?È um desafio...Sobre qualquer tema da actualidade. Não sou católica.Não tenho fé. O João tem? Deve ser bom, tenho pena sabe.Não sou anti nada a não ser contra a resiliência.E contra a limitação à liberdade de imprensa. Já li todo o blog. Concordo com umas coisas , com outras não; acho lindíssimos certos poemas, do Padre Pedro e JSM, dos textos mais sérios do Gito -escreve muito bem; gosto muito das efemérides,mas não vi que em si as crónicas sejam insultuosas. Sabe quem lê perde muito por não ter a entoação. E o que se diz com a entoação das frases.João, se Deus existe castigará estes malandros um dia. Deixe esse trabalho para Deus. Descanse agora e deixe -nos poder lê-los.O que acha? Olhe a conversa está animada mas vão sendo horas de dormir, que amanhã é dia de trabalho.Também trabalha? O que faz? Não é Professor não? ainda bem
boa noite
MSM

João Amorim disse...

caro JSM

Na minha opinião não devia permitir a edição de alguns comentários que não têm nada de opinatório para além do discurso vexatório. O vosso blogge vive por si e não carece da prestação de terceiros, pelo menos daqueles que distorcem na essência o elemento editado. Chega a ser irritante ler algumas mensagens – persistentes e inúteis tal como uma birra de criançinha – quando se pretende aceder à caixa de comentários.

JSM disse...

Caro João Amorim
Tem razão. Estamos a tratar do assunto e por certo encontraremos a melhor solução.
Cumprimentos.

Anónimo disse...

Sobre o que diz MSM, confronte-se o que MSM disse posteriormente, em comentário a http://foradeestrutura.blogspot.com/2008/04/25-de-abril-de-74.html