sábado, 8 de março de 2008

Dia de Festa


Hoje é dia de S. João de Deus. E hoje celebramos 14 anos de Vale de Acór.

Como é grande a gratidão pelo Bem que esta Casa faz, e nos faz. Um Bem indiscutivelmente abençoado pelo “olhar” deste Santo de Montemor, que lhe abriu os caminhos!

E como forma de expressar esta mesma gratidão, que é realidade concreta na minha vida, aqui deixo um breve testemunho que escrevi recentemente sobre esta experiência de "ser" do Vale de Acór:

Em 14 anos de trabalho no Vale de Acór é para mim clara a confirmação permanente de que vale a pena acreditar na recuperação dos toxicodependentes. Retomar uma vida sem drogas, mesmo para aqueles casos que aparecem como desesperados, é sempre possível.

Sair da droga não é nada fácil. Assim é a nossa experiência aqui no Vale de Acór: dificuldades imensas, desilusões constantes, recaídas e desistências que surgem quando tudo parece ir bem, momentos difíceis sempre presentes.

Mas com tudo isto, também todos os dias há sinais concretos de uma outra realidade.

Porque não há destinos traçados e porque pode haver sempre uma outra escolha; porque o conhecimento sério de si mesmo e a confiança no outro transformam uma vida egoísta, fechada, destrutiva numa vida com verdade e com sentido; porque a experiência de uma relação autêntica com o outro, que nos olha nos olhos, abre caminho de mudança.

É esta mudança que por aqui vivemos.

E por isso continuamos a acreditar e a trabalhar, com seriedade e profissionalismo, mas também com a alegria, o empenho e a esperança que esta Missão nos exige.

9 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns... E que o mesmo Santo vos ensine o verdadeiro sentido da palavra "hospitalidade"!

Sideias disse...

Com muita alegria também de estar por aqui!!

Rita LM disse...

Caro anónimo, dos Santos gostava de aprender toda a vida. Quando já não for preciso, há-de ser um bom sinal...

Gostava no entanto de entender as suas razões para tanto ressentimento.

Que tal encontrarmo-nos para um café? Nada como olhar nos olhos para recebermos o "outro" numa verdadeira hospitalidade.

Pense nisso.

Luis disse...

Parabéns Vale de Acór.
Quanto ao ruído de fundo parasitário que cobardemente se encobre sob a capa de "anónimo" apenas me ocorre dizer o seguinte: os cães ladram, a caravana passa.
Quanto mais lhe ligarem pior. Esqueçam-no que ele acabará por ir pregar para outra freguesia.

Anónimo disse...

Eu também gostava de saber quem é o anónimo de cima. Agora vocês são tão limitadinhos que querem à força resumir as discordâncias a uma única pessoa.

A sugestão da Rita é simpática e tentadora. Era de facto bom que trocássemos umas ideias... Podem ser mediadas por um cafezinho, ou até com uma bela limonada fresca, que a Sara não se importe de fazer para aproveitar "tanta acidez"!

Para vossa informação, eu é que tenho sido o anónimo mais cáustico.

E para o provar:

Luís, seu grande parvalhão, você não sabe ler? Ou foi por falta de tempo que não leu todo o blog, como já lhe recomendei?

Anónimo disse...

Anónimo, seu grande parvalhão, você não sabe ler?
Que grandes e sábias recomendações pensa você, do alto da sua arrogância, ter para ensinar?
O acto educativo não existe verdadeiramente quando não se Ama.
Have a nice day!

Anónimo disse...

Este anónimo a falar inglês deve ser um tonto "Samurai 'New Age' de Cristo", não?

Anónimo disse...

parabéns ao Vale de Acór,

por todos os que lá trabalham e ajudam de alguma forma, e por todos os que lá estão e por lá passaram ao longo destes anos em busca da VIDA, e especialmente por todos os que já partiram deste mundo, que Nosso senhor os receba na Sua glória.
que Deus os abençoe a todos e continue a encher o Vale de Acór de muitas graças.
Parabéns!

Vera

MRC disse...

Muitos parabéns num trabalho tão meritório numa área de actuação tão difícil.
Continuação de bom sucesso !