sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

História de algibeira (22)

Entre 15 de Outubro de 1910 e 19 de Junho de 1911, a bandeira nacional foi alvo de acérrima contenda entre os republicanos, a chamada Polémica das Bandeiras. Por forma a marcar a mudança de regime urgia mudar o mais importante símbolo nacional. Então estiveram em confronto a facção moderada representada por Guerra Junqueiro, que defendia a manutenção das cores azul e branca, e a facção radical liderada por Teófilo Braga, que defendia a adopção das cores “verde-rubra” da bandeira do PRP como nova bandeira nacional. O culminar da disputa é por todos nós conhecido, e hoje temos a bandeira que temos...


Ilustração gentilmente cedida por Carlos Bobone – Livraria Bizantina

14 comentários:

Anónimo disse...

Espero que essa algibeira se rompa depressa,porque já estou farto destes vossos artigos monárquicos! Queria ver, se voltássemos à Monarquia, que bela Monárquia das Bananas, teríamos!

JSM disse...

Anónimo pobre e mal agradecido: se não gosta não leia, pegue na sua bandeirinha e vã pregar para outra freguesia. Na republica das bananas vegeta o caríssimo anónimo, mas pelos vistos não dá por isso! E mais, para completar a sua instrução, nem seria preciso mudar de regime para mudar de bandeira, por exemplo a Rússia fez isso há muito pouco tempo, não deu por isso?! Por fim uma revelação: a anterior bandeira azul e branca não tinha as cores de nenhum regime ou partido, ao contrário da verde e encarnada, essa sim , com as cores da bandeira do partido republicano e inspirada nas cores da união ibérica! Relembro que as cores azul e branca são as da Fundação, as mesmas que segundo a tradição estiveram presentes em Ourique.
Fico-me por aqui e espero ter sido claro e objectivo.
Saudações monárquicas.

João Távora disse...

Não sei em quê este texto poe ser monárquico ou republicano. Factos são factos. Um abraço caro JSM

Anónimo disse...

Uma bandeira de pretos, como a classificava o republicaníssimo Guerra Junqueiro.

Anónimo disse...

Vá passear,"caro" JSM,você e sua bandeira monárquica! Você e os parasitas e elitistas dos seus amigos!!! Você que se acha muito instruido...bah! Mais parece, estagnado! Você é só garganta! A ver, vamos!

Ainda que as cores azul e branca sejam as da fundação, sabemos perfeitamente que a História evolui e que ao longo desta, também as mentalidades. Acredito que haja gente de boa fé dentro do Monarquismo, mas perante a sociedade e mentalidade modernas e, sobretudo a que REINA no nosso país, dificilmente, vingaria.

Anónimo disse...

Apoio o anónimo anterior!

Dastreetchamp disse...

hahahaha get back to your hole dude

frei de jesus disse...

«Acredito que haja gente de boa fé dentro do Monarquismo, mas perante a sociedade e mentalidade modernas ...».

O que é a «sociedade e mentalidade modernas» ? E «perante» o quê ? A Suécia, a Holanda, a Inglaterra, a Noruega, são o quê ? Uma mentalidade retrógrada ?
Cada anedota !

João Amorim disse...

Impressiona-me a quantidade de "anónimos modernos" que gravitam nos blogges.
O que é que "ser"(?) moderno tem a ver com uma bandeira feia que se farta? Se os ressabiados repúblicanos conceberam um ícone foleiro cabe-nos, pois, a nós "modernos" criar uma bandeira consentânea!!

frei de jesus disse...

O busto do Teófilo Braga desapareceu do pedestal onde estava em Ponta Delgada, (juro que não fui eu !) ficou só a placa comemorativa com as tretas do costume assinadas por Mário Soares, ehehehe ...
Antero de Quental, que pelo menos nisso não se enganou, captou, em tempo, o verdadeiro carácter da escumalha republicana que conspirava contra a Monarquia e, às actividades de Teófilo Braga em Lisboa, chamou-lhes o «laboratório merdoso do Teófilo» (Ref. «Unica Semper Avis»)

Anónimo disse...

Infelizmente, Portugal está a milhas de distância Da Inglaterra, Noruega, Dinamarca, Holanda and so on! E não só destes países, mas de outros bem republicanos.
E quem é que você, frei de jesus, colocaria no trono?! Já teriam mais assunto a "Caras" e revistas afins! hehehehe!

Assinado: ANÓNIMO!

JSM disse...

Muito riso pouco siso, diz o povo. Claro que a Espanha, o Japão, a Suécia, a Bélgica, o Canadá, etc, optam pela chefia de estado monárquica por causa das revistas sociais ou cor de rosa! Por cá é que elas florescem. Em França, os coitados dos franceses têm que se contentar com o principado monegasco! R muitas estátuas ao Napoleão, o corso!
Renovo as saudações do costume.

JSM disse...

Correcção: E muitas estátuas ao Napoleão, o corso!

Nota básica:
Em relação à França, a obsessão pelos principes de Mónaco, traduz aquilo que em psicologia colectiva se chama - um acto falhado. No que toca ao corso, a veneração francesa revela o 'oculto', ou seja: um militarismo latente de matriz cesarista. Pena que a Córsega reivindique a independência, e o seu condottieri, deixando a França mais uma vez órfã!
Nestes meandros do carácter, ou da falta dele, Portugal segue a França.

Anónimo disse...

A bandeira azul e branca sim, de facto é mais bonita que a verde e encarnada... Bastava somente tirar a coroa que lá se encontra hehehe!