segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Disponibilidade

Agradeço ao MAC o convite amigo para participar neste impressionante blogue.
Temperamentalmente reservado, ouso publicar as minhas opiniões que procurarei apresentar de modo tão educado quanto convicto. Assim, e não abdicando de dizer o que penso, creio-me aberto a poder, eventualmente, esgrimir argumentos, desejando, no entanto e tanto quanto possível, não me envolver em disputas pessoais com os meus leitores.

Mas começo por apresentar-me perante a geografia política actual, dizendo da minha orfandade, não principalmente porque a esquerda é hoje poder mas, isso sim, e o que reputo mais grave, porque a direita esvaiu-se!
Ou seja, quero com isto dizer que concordo com o que o PSD afirma de si mesmo, quando insiste em dizer que não é um partido de direita! E basta olhar, por exemplo, para Cavaco, para confirmá-lo. Polícia sinaleiro do regime, obcecado com o rigor financeiro das contas do estado, mostra-se tímido face à deriva das referências estruturantes da nação, como sejam a defesa da dignidade da pessoa humana, desde o princípio da vida, ou a luta pelo integro funcionamento das instituições -vide o novelo que envolve o PGR…- ou, ainda, na incapacidade de promoção de um ideia de Portugal própria, face ao franchising ideológico de Sócrates.

Congruentemente, não concordo com o que o PP diz de si mesmo, apresentando-se como o partido representante da direita! Porque deve manter-se, a bem da distinção (elevação) dos ideais, a distinção (separação) entre uma compreensão da matriz que é própria à direita e aquela outra própria ao partido de Portas: grande defensor dos negócios dos privados mas tendencialmente omisso perante as responsabilidades sociais do estado e dos indivíduos; liberal nas referências culturais, já sem qualquer filiação filosófica efectiva no pensamento personalista cristão, pelo que moralmente hedonista (vide PP e homosexualidade…); populista nas oportunidades de demagogia e por isso incapaz de entusiasmar as elites.

Enfim, serve este meu primeiro post para ‘oferecer’ a minha disponibilidade perante um novo partido que tarda em se apresentar que seja direito e pela direita.
Mas deixo para um próximo post o que eu mesmo quero dizer com isto de ser de direita, hoje!

4 comentários:

João Távora disse...

Seja bem vindo Carlos!

Anónimo disse...

Também digo seja bem vindo Carlos Leal!Fico à espera do tal partido de que falou, porque isto agora, é venha o diabo e escolha!

Anónimo disse...

Também digo seja bem vindo Carlos Leal!Fico à espera do tal partido de que falou, porque isto agora, é venha o diabo e escolha!

sideias disse...

Bem vindo! Vamos marcar um jantar de convívio de bloguistas...