quinta-feira, 19 de abril de 2007

A diferença

Fomos ver o filme “As vidas dos outros” ( que bonito filme. A não perder! Assim como o post sobre o mesmo, da nossa amiga e colega blogista SIdeias)o no final falavamos sobre a diferença entre o cinema Europeu e Americano. Este, o espectáculo, a aventura a acção, a tecnologia, a representação como uma tentativa de imitação do real.Histórias com “final feliz". E saímos da sala, vamos beber um copo e ter conversas triviais. Do filme apenas um “é giro, t’á bem feito!”. O nosso, a simplicidade, a interioridade, o tempo, o real tantas vezes magistralmente representado.Com ideias. Saímos, talvez em silêncio a pensar, e depois vamos beber um copo e continuamos a pensar.

No dia seguinte assistimos ao debate na tv, entre Paulo Portas e Ribeiro e Castro. No final voltamos a pensar na diferença entre as duas cinematografias....e fomos dormir!

PS: pensando melhor, talvez o cinema americano também tenha ideias, e boas. A diferença é que gosta mais de si próprio do que das suas ideias!!...

2 comentários:

f disse...

se me é permitido dizer, na cinematografia americana encontra-se de tudo.
é claro que as grandes distribuidoras - Lusomunto, etc. -, e os óscares, exibem predominantemente lixo (ou entretenimento directo e imediato, por vezes, condescendamos); as mais das vezes em centros comerciais multiplex, i.e. 'enlatados'. [muito IRRITANTE!, indeed].
mas por vezes, até em filmes de grande espectáculo, há alguma coisa a reter - vide a obra do Shyamalan por ex.

gostava de recomendar aqui dois grandes filmes que me vieram agora à memória (não sei porquê, ou talvez saiba...) de John Ford:
- The Fugitive, 1947
- The Sun Shines Bright, 1953

alguém viu (não são caboiadas!)? alguém quer criticar?

saudações,
f

Anónimo disse...

cntinuem a ir ao cinema. E a fazer essas associações entre o cinema e o Travolta, e o T'ádevolta...