quinta-feira, 26 de abril de 2007

O Centro


Nesta vida terrena que temos

Quantas e quantas tentações...

Disparates e afins

Nos passam por ambições!


Tentações de felicidade

Mascarada pelo mal

que parece quase verdade

que ao fim ao cabo a maldade

poderia até quem sabe

elevar a nossa moral...


Como é fácil cair, como é fácil escorregar

em pensamentos que outrora,

mais concentrada que agora,

não me deixaria levar!


E tudo leva ao meu centro, tudo apela ao sentimento

Tudo me centra em mim mesma e me descentra do Centro.


Cada dia recomeço

E peço a Ele que é Centro

que me auxilie nesta luta

de escapar ao sentimento que não passa de momento...

4 comentários:

Anónimo disse...

Lindo... lindo e limpido!!

Martinho Silva disse...

Mais nada!
É estarmos sempre atentos...

Amiga, quantas vezes temos a pretensão de querer escolher o nosso caminho. Quantas vezes o egoísmo nos leva a rodopiar sobre o nosso egocentrismo!

Queremos sempre mais: um emprego que nos fascina, uma relação perfeita, dinheiro e férias para o gastar, etc.

Mas no fundo é tudo acessório e nada mais precisamos para sermos felizes que a certeza de rodarmos na órbita de Deus. Simples, humildes e agradecidos.

Obrigado pela graça deste poema!

Grilinha disse...

Adorei...estou sem palavras. Se é de tua autoria, estás de parabéns porque o que escreveste é genial...somos felizes com pouco, mas o que nos faz também muito felizes é sentirmo-nos bem connosco e com a nossa consciência, seja ela Deus ou a nossa voz interior. Obrigado por me teres dado a conhecer este espaço fantástico. Um beijo

Cláudio Anaia disse...

Gostei !
Para que Ele seja sempre o Centro !