quinta-feira, 12 de abril de 2007

Trágico-cómico!

Seria cómico se não fosse trágico!
Sócrates não mente, porque em Portugal ninguém mente!
Sócrates não mente, porque um primeiro-ministro de Portugal nunca mente!
Sócrates não mente, porque a mentira não mente!
Mas Sócrates mente, porque em Portugal todos mentem!
…por necessidade, por abandono, por misericórdia, pela minha saúde, eu seja ceguinho, palavra de honra, por isto e por aquilo, juro que já menti…
Mas Sócrates não mente, porque quem mente todos os dias é o regime que ele representa!
Mente na Casa Pia, mente no Aeroporto, mente no TGV, mente em Bruxelas, mente na constituição, na descolonização, o tribunal constitucional é mentira, mente nas contas, nos impostos, no futebol, em tanta coisa… mentiu na pergunta do referendo… nas promessas do referendo também mentiu!...
Sócrates não mente sozinho, porque neste país ninguém mente sozinho!
Sócrates mente, mas não sabe porque mente!
É um produto irresponsável da nossa deseducação, um ‘pronto a vestir’ das nossas universidades, para servir nos partidos… os partidos!
Foi escolhido pelo regime para fazer o serviço sujo, e com um tropeço ou outro, vai dando conta do recado.
Muitos dos que agora gemem, votaram nele!
E vão continuar a votar no regime que elege o chefe… dele!

4 comentários:

Anónimo disse...

Mentir é feio, mas como este pais está tão feio as mentiras do engenheiro não se notam ...

PrincípedaHistória disse...

apoiado

Anónimo disse...

Pior que mentir è insinuar, deixar no ar a suspeição, não provar o que se diz , que afinal não passam de opiniões de quem até não sabemos nada.Gente de bem? Não sei! Honestos? Não sei!Técnicos credênciados em Aeroportos, Educação,economia,política? também não sei!Só sei que dizem sempre mal e que lastimam a falta do Rei na cena política!Ora uma coisa sei! Sendo Monárquicos,a responsabilidade de o colocarem no tabuleiro é deles e se o não conseguem a responsabilidade também é deles! Não estão à espera que os Republicanos o ponham,não? Muito menos aqueles que apelidam de Jacobinos e a quem atribuem os males do País, atríbuindo-lhes uma fotça que não existe!!!O tipo de política que fazem e os métodos que escolhem, vão manter o seu próprio Rei afastado mais outros tantos anos.A influência dos jacobinos é nula, comparada com a Vossa ineficiência!Mas continuem assim que a Répública agradece!Já agora,não há só falsos Engs-titulo usado para quem exerce a Profissão;
há igualmente falsos DRs, Duques , marqueses, condes...e por aí fora uma vez que estamos numa Républica e muitos deles nem foram verificados...Mas que interessa ...são titulos de cortezia...como os D. e Donas.Até mesmo para REi seria dificil- não basta ser-se filho de Rei ,é necessário nascer-se do ventre de uma Rainha...Complicado em???Como o autor diz "ninguém mente sózinho".Depois o ataque serrado e constante às universidades, dá que pensar!!!Onde se forma a pequena elite de que faz parte? No estrangeiro?AS universidades formam gente para trabalhar em qualquer area, não só nos partidos.E parece-me espantoso que pense em todos os "licenciados" como esgoto como uma vez referiu.Mas lá sabe através de quem conhece e conhece pouco!!!Perante esta mediocridade confrangedora resta-nos provavelmente votar no menos mau-Sócrates. A Europa e metade do País aprovam!Mesmo com uma Monarquia, como se resolveria a questão partidária????

JSM disse...

Caro Anónimo
As suas dúvidas são mais extensas que as minhas certezas! Mas olhe que eu tratei bem o seu Sócrates. Não o considerei totalmente responsável pelos seus actos. E não percebeu que não pretendo substituir Sócrates por outro Sócrates, pois já deve ter adivinhado que em Portugal não existe verdadeira oposição! Como tem sido usual, aliás! E também não posso nem quero substituir a população. Conto portanto consigo para mudar o que está errado, sem complexos nem preconceitos. E já agora, se me permite uma correcção, está enganado, quem tem que restaurar e resolver a questão do regime são os republicanos. Quem fez o nó que nos aperta a garganta que o desate. E outra informação: hoje já não existem monárquicos e republicanos, mas sim portugueses a lutarem por serem independentes, decididos a honrarem os 'egrégios avós' do hino republicano.
Finalmente e sobre a parte do meu texto que mais o incomodou: eu responsabilizo as universidades pelos nossos êxitos e fracassos porque são elas que fabricam as 'elites', leia-se dirigentes, que nos governam. E todo este imbróglio do título académico do primeiro-ministro só me dá razão.
Mas obrigado pelo seu comentário.